A IMPRENSA DA RESISTÊNCIA

DESTAQUE

Marco Antônio Coelho

Marco Antônio Coelho

Veja mais

ALTERNATIVA

BRASIL MULHER, NÓS MULHERES, MULHERIO

Em 1975, proclamado pela ONU o Ano Internacional da Mulher, uma nova linhagem surge na imprensa alternativa: as publicações feministas. Brasil Mulher é a pioneira. Therezinha Zerbini, ligada aos militares nacionalistas, cria o Comitê Feminino pela Anistia e alia-se à jornalista Joana Lopes. Mas a questão do feminismo tensiona as relações: após a primeira edição, Zerbini se afasta e o jornal segue nas bancas até 1980.

Nós Mulheres, de 1976, amplia a visão tradicional da esquerda sobre as questões de gênero, ao defender a autonomia da luta feminista.

No final do ciclo alternativo, em 1981, a Fundação Carlos Chagas lança Mulherio. Sob a direção da jornalista Adélia Borges, manteve-se nas bancas por dez anos.